quarta-feira, 1 de agosto de 2012

***Inocência***


***Inocência***

Nesta doce e tão pura inocência
que possa eu também assim cantar
Por sobre muros que gotejam essência
que possa eu por sobre eles volitar

Que ao sonhar eu sonhe lindo e colorido
que eu possa ver e também participar
Desta orquestra que emite um sonido
e fica envolta pela luz de um alvorar

Que do passado eu construa o presente
que o presente seja pleno de harmonia
a envolver-me assim tão docemente

E a luz divina que eu vejo nesta hora
clareia tudo em perfeita sintonia
a preparar belo futuro sem demora
by
***RosaMel***

.


Um comentário:

Cairo Pereira disse...

O poema em si é lindo. Adorei, de verdade. Só não vou chamá-lo de soneto, porque você foge do ritmo e metro. No entando, isso não o faz perder o valor, porque mesmo assim você o fechou com "chave de ouro".

Todos os textos deste blog têm os direitos registrados para RosaMel.