segunda-feira, 5 de maio de 2008

*** MEU AMOR IMORTAL ***

O que me faz querer-te como te quero
O que tens que fico louca ao pensar em ti
Tudo faço, digo, eu me esmero
E realmente nem sei o que vi

Devo ser por deveras insana
Por querer-te tanto assim
E por vezes tenho gana
Ao envolver-me nesse festim

Nesta angústia que fere minh'alma
Tão florida de amor, quente e sensual
Com certeza seria a minha calma
Se deixasse de ser tão casual

Quando jogasse ao universo
O teu mantra de querência imortal
Deixaste minha vida num reverso
Junto a tua num elo transcendental

E hoje teu compromisso está amarrado
Onde envolveste os elementais do amor
Não fujas do laço por ti conjurado
Não extermines este fogo e fulgor

Deixe que a roda da vida se proponha
Cumprindo o dito e o traçado verbal
Se não me queres nesta, vida então deponha
Aquele amor que eu julgava imortal

***Rosa Mel***



Um comentário:

Sueli disse...

Rosamel:

Estou encantada com seus poemas. Você está sempre se superando.
Parabéns querida. Não deixe nunca de escrever. Adorei Saudosa Pantaneira.
Beijos,
Sueli

Todos os textos deste blog têm os direitos registrados para RosaMel.