terça-feira, 15 de janeiro de 2008

***ATRÁS DA VIDA***

Eu busco a vida
n'alma do gato
porque de fato
ele tem sete
Se vascilar a ele esfolo
faço o jantar
E coloco o pêlo
no meu sofá
Que roído está
por causa do gato
que deixou o rato escapar
E buscando a vida
que eu quero viva
prá ser vivida
eu sigo adiante
pro meliante
não acabar
E no fim do dia
com alegria
vou agradecer
Que não matei o gato!!!
Que não matou o rato!!!
E que o meliante, me deixou...
sobreviver...

*** Rosa Mel ***

3 comentários:

Osvaldo Heinze disse...

Oi Rosa!
Nossa! Esse teu poema e deveras interessante...
Você conseguiu demonstrar com clareza que em tudo há poesia e que vivenciando isso fazemos nossa vida tão mais leve, alegre e esperançosa.
Um beijo no teu coração querida poetisa!

Zilda disse...

Gostei também, amiga!
Deixou transparecer seu bom humor e espírito brincalhão que lhe são peculiares.
Final feliz, graças a Deus...
Bjs!!

tere&tere disse...

essa poesia pode muito bem ser comparada a uma fabula...mostrando a realidade por trás da poesia....amei..beijokas

Todos os textos deste blog têm os direitos registrados para RosaMel.